06 março 2017

Informe oficial do governo brasileiro à ONU omite desastre de Mariana

Relatório serve de base para sabatina do País no Conselho de Direitos Humanos


Diário do Poder

O governo Michel Temer omitiu o desastre ambiental de Mariana do informe oficial que entregou para a Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a situação de direitos humanos no País. O relatório servirá de base para uma sabatina do Brasil no Conselho de Direitos Humanos da entidade, onde nesta segunda-feira, 27, retomou assento por mais dois anos.


Desastre em Minas Gerais deixou 18 mortos em novembro de 2015 (Foto: Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo)

O documento não foi divulgado pelo governo brasileiro, mas o Ministério dos Direitos Humanos confirmou que não faz referências ao rompimento da barragem de rejeitos da Samarco na cidade mineira, que deixou 18 mortos em novembro de 2015, contaminou cursos d’água e é considerado um dos maiores desastres ambientais da história do País.

Segundo o governo, a ONU impõe um limite de tamanho para o documento e não teria sido possível incluir o desastre. Outro argumento oficial é o de que o exercício se refere a tudo o que o Brasil fez desde a última sabatina, há quatro anos, e como o governo implementou ou não as recomendações feitas àquela época.

Em um primeiro rascunho do documento produzido pelo governo em novembro do ano passado, o governo já excluíra o caso da barragem em Minas, apontado pela ONU em seus comunicados como uma das grandes tragédias ambientais dos últimos anos. No texto, o governo se concentra na questão do desmatamento. “Entre 2004 e 2015, a taxa anual de desmatamento na Amazônia Legal brasileira foi reduzida em mais de 80%”, afirmou o texto.

Prisões

Em relação ao item referente à segurança pública, o governo não informou se mortes em presídios foram mencionadas neste documento entregue à ONU, mas afirmou que a versão final é “bem diferente” do rascunho, uma vez que foram realizadas consultas e recomendações por parte de entidades da sociedade civil.

Elaborado em novembro do ano passado, o informe inicial do governo não citava as 350 mortes registradas em presídios ao longo de 2016. Só nos 17 primeiros dias deste ano, foram mais 131 homicídios no sistema carcerário brasileiro.

O documento, porém, admite que existe o problema do uso indiscriminado de força pelas polícias. “Considerando o objetivo de enfrentar o uso excessivo de força policial, destaca-se o já citado Programa Brasil Mais Seguro, instituído em 2012 pelo MJC (Ministério da Justiça e Cidadania), o qual visa à redução da criminalidade violenta, por meio da cooperação entre União, Estados, Distrito Federal e Municípios”, disse. (AE)



Serviço de 'árvore delivery' faz sucesso em Votuporanga

Moradores ligam e pedem uma das sete opções de mudas oferecidas.No primeiro mês de funcionamento do projeto foram 82 plantios.


Renata Fernandes | G1 Rio Preto e Araçatuba


Um serviço gratuito e inusitado tem chamado a atenção dos moradores de Votuporanga (SP) há um mês. É o disque árvore, em que os moradores ligam e pedem o plantio de uma das sete opções de mudas oferecidas.


Serviço gratuito funciona há um mês (Foto: Divulgação)
Serviço gratuito funciona há um mês (Foto: Divulgação)

De acordo com a assessoria de imprensa do Serviço de Tratamento de Água e Esgoto (Saev) Ambiental da cidade, que implementou o serviço, durante o primeiro mês de funcionamento do projeto foram plantadas 82 mudas das 98 solicitações feitas.

A auxiliar administrativa Daniele Barros Criado foi uma das moradoras de Votuporanga que usou o disque árvore. Ela diz que optou pela espécie pata de vaca, porque ao crescer se torna uma árvore florida.

"Fiquei bem satisfeita com o serviço, já que não tinha tempo para fazer o plantio. Faz tempo que queria uma árvore em frente de casa, mas eu ficava de passar no viveiro para pegar uma muda e sempre esquecia. O disque árvore facilitou para mim, já que depois de ter ligado, em três dias vieram em frente de casa e plantaram", diz.

As plantas são do viveiro do Horto Florestal, que a autarquia mantém para arborização urbana. São oferecidas sete opções de mudas para o plantio em frente às casas, comércios e indústrias, sendo duas de pequeno porte para o lado próximo à rede elétrica: ipê amarelo do cerrado e magnólia; quatro de médio porte para o lado oposto da rede elétrica: lofantera, magnólia-amarela, melaleuca e pata-de-vaca; e a aroeira pimenteira, que pode ser plantada nos dois casos.

As espécies de mudas mais solicitadas no primeiro mês foram aroeira pimenteira, lofântera e quaresmeira. A maioria das solicitações, 90% delas, foram feitas por moradores.

O serviço funciona pelos números de telefone 0800-771-1950 ou 3405-9195 e pelo atendimento pessoal, das 8h às 16h, na rua Pernambuco, 4313. Ao solicitar o plantio de uma muda é gerada uma ordem de serviço e após avaliação técnica sobre a espécie adequada para o local, uma equipe da autarquia vai ao local e faz o plantio, sem custo algum para o cidadão.


Prefeitura remove 60 famílias após barragem recém-inaugurada vazar

Reservatório faz parte do projeto de transposição do Rio São Francisco.'Não foi identificado nenhum risco estrutural', afirma Integração Nacional.


Do G1 Caruaru


Sessenta famílias que vivem nas proximidades de onde ocorreu o vazamento do reservatório Barreiro serão removidas das casas onde moram. A informação foi divulgada na tarde desta sexta-feira (3) pela Prefeitura de Sertânia, no Sertão de Pernambuco. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, o vazamento ocorreu entre as estações de bombeamento 5 e 6 do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Resultado de imagem para ocorreu o vazamento do reservatório Barreiro
Vazamento no reservatório Barreiro, em Sertânia, Pernambuco

Ao G1, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que a obra foi inaugurada há uma semana, na sexta-feira (24), mas o prazo inicial da entrega deste trecho eram em 2012. "Agora, vamos dar assistência às famílias que estão sendo removidas", afirmou a prefeitura por meio da assessoria. Não há uma estimativa de quantas pessoas foram afetadas.

A gestão municipal ainda destacou que a barragem tinha o risco de romper, mas "agora está controlado". O reservatório está localizado há 12 quilômetros do centro de Sertânia.

"Um ginásio, uma escola municipal, um salão paroquial e o canteiro de obras do Projeto São Francisco, todos na comunidade Rio da Barra, estão disponíveis para abrigar temporariamente as famílias. Além do alojamento, estão sendo providenciados kits de ajuda emergencial contendo colchonetes, material de higiene e mantimentos, dentre outros itens. Todas as famílias estão recebendo apoio por parte da empresa responsável pela obra do Projeto naquele trecho", destacou o Ministério da Integração Nacional.

O vazamento

Foi registrado na manhã desta sexta-feira (3) um vazamento na barragem Barreiro. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, "técnicos das empresas responsáveis pelas obras do Projeto São Francisco na região estão em campo tomando todas as medidas necessárias para fazer a contenção da água. Até o momento não foi identificado nenhum risco estrutural ao reservatório".

As comunidades do entorno estão sendo alertadas sobre medidas de segurança por técnicos da área Ambiental e de Fiscalização do Projeto São Francisco, conforme destacou a Integração Nacional.

O Ministério da Integração ainda reforça a moradores de áreas rurais na região de abrangência o pedido para estarem alertas e, caso seja constatada a dispersão da água, procurarem abrigo em locais mais elevados.


Perda de classificação do Jardim Botânico de Porto Alegre é certa, afirma Ministério do Meio Ambiente

Extinção da Fundação Zoobotânica fará a estrutura da Capital ficar fora das três categorias, pois entre os pré-requisitos para todas está "possuir quadro técnico-científico compatível". Hoje, local é nível A


Zero Hora


Não é qualquer área protegida que pode ser jardim botânico. A classificação é um registro concedido pelo Ministério do Meio Ambiente, que leva em conta requisitos previstos em resolução de 2003 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

Os jardins botânicos são classificados em três categorias: A, B e C, que, da estrutura mais simples à mais completa, atendem entre 11 e 16 exigências (veja no quadro abaixo). Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a extinção da Fundação Zoobotânica fará a estrutura da Capital perder a classificação A, pois entre os pré-requisitos para todas as categorias está "possuir quadro técnico-científico compatível". 



– A extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul implicará a perda do registro e enquadramento como jardim botânico. Este fato representaria uma grande perda no esforço que os jardins botânicos brasileiros estão realizando para atender às metas da Convenção da Diversidade Biológica (tratado internacional ratificado pelo Brasil) – afirma Maria Lucia Nova da Costa, integrante da Secretaria do Sistema Nacional de Registro de Jardins Botânicos.

Ou seja, a desclassificação em Porto Alegre representará uma entidade a menos no trabalho oficial de conservação da diversidade biológica do país.

05 março 2017

Terremoto de 5,7 graus sacode ilha filipina de Mindanao

Não há informações de vítimas do tremor deste domingo (5). No dia 11 de fevereiro, um outro terremoto de 6,7 deixou 8 mortos e 200 feridos.


EFE


Um terremoto de 5,7 graus de magnitude sacudiu neste domingo (5) a ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, sem que se tenha informado de vítimas nem de danos materiais de importância. 

Resultado de imagem para terremoto mindanao filipinas

O epicentro se situou oito quilômetros ao nordeste da cidade de Surigao, a uma profundidade de 19 quilômetros, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que mede a atividade sísmica no mundo.

Um tremor de magnitude 6,7 na mesma região deixou oito mortos e 200 feridos no último dia 11 de fevereiro.

As autoridades locais declararam então estado de desastre na cidade de Surigao, onde vários edifícios e infraestruturas sofreram graves danos, entre eles o capitólio provincial, um centro comercial e duas pontes importantes.

As Filipinas se encontram no chamado Cinturão de Fogo do Pacífico, uma das zonas do planeta na qual se registra maior atividade sísmica.


Centro de recuperação trata pinguins que surgem no litoral do RS no verão

Animais marinhos se recuperam na Universidade Federal de Rio Grande.Essa não é a época de pinguins aparecerem na costa brasileira.


Yéssica Lopes | RBS TV

Não é época de pinguins aparecerem na costa brasileira, situação que ocorre em setembro, segundo especialistas. Mas o litoral gaúcho vem recebendo a visita dos animais marinhos neste verão. Na Universidade Federal de Rio Grande, no Sul do estado, sete estão em tratamento.


Pinguins recebem alimentação durante tratamento (Foto: Reprodução/RBS TV)
Pinguins recebem alimentação durante tratamento (Foto: Reprodução/RBS TV)

Os pinguins passam bem, mas preocupam especialistas. O motivo é o contato com humanos, que pode causar doenças. "O importante é que se avise o museu oceanográfico, o Ibama ou a Patrulha Ambiental, porque essas pessoas têm o conhecimento de manejo dos animais que vão poder receber esse animal, manter esse animal até nos trazer pra uma reabilitação", explica o veterinário do centro de recuperação Rodolfo Silva.

Os animais marinhos que chegam à universidade são tratados como verdadeiros pacientes. Eles ganham uma ficha, onde a equipe veterinária preenche todos os dados de como eles chegaram. E então avaliam esses animais, nesse caso os pinguins, para definir qual o melhor tratamento para que retornem o mais rápido possível para o mar.

Os pinguins de Magalhães, que costumam surgir na costa brasileira, vêm da Patagônia, na Argentina, e costumam 'viajar' em setembro para se alimentar.

"Esses pinguins que estão aparecendo agora no verão, provavelmente são indivíduos que não voltaram para suas colônias de reprodução para mudar as penas, que é um processo natural dentro do ciclo biológico desses animais. Então esses indivíduos ficaram aqui nas águas do brasil se alimentando", observa a oceanóloga Paula Canabarro.

Depois que estiverem recuperados e com novas penas, todos os pinguins do centro devem voltar para casa. A expectativa é que a viagem de volta seja no próximo mês.