12 novembro 2011

Defensores dos animais chineses fazem campanha contra consumo de carne de tubarão

Por Natalia Cesana (da Redação) - ANDA

Muitos casais escolheram se casar na data de 11/11/11. Na China, muitos optaram também por escolher o tradicional prato de barbatana de tubarão para a festa. É justamente esse tipo de cardápio que os defensores dos direitos animais têm combatido e já estão conseguindo os primeiros resultados positivos. As informações são do jornal italiano Lastampa.

O mercado mais lucrativo de barbatana é o de Hong Kong, não por acaso uma das cidades mais ricas e dinâmicas. O prato à base de tubarão não apenas é considerado uma iguaria, mas indicador de status, prosperidade e riqueza conquistadas com muito esforço. Desde o reinado da Dinastia Song, no século X, o cardápio era uma prerrogativa das famílias ricas, mas apenas em 1970 é que se tornou algo acessível para a classe média.

Só os habitantes de Hong Kong consomem 80% de todas as vendas mundiais de barbatanas. Os países fornecedores são mais de 100, mas a Espanha é um dos principais. De acordo com um relatório da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), em 2006 foi registrado o consumo de 10 mil toneladas, movimentando quase US$ 300 milhões.

Mas exatamente neste 11/11/11 que a batalha dos defensores dos animais conseguiu seu primeiro êxito. É claro que a maioria dos casais não quis desistir do tradicional prato, mas muitos hotéis decidiram oferecer descontos sobre o menu, diárias mais baratas e outros incentivos a quem optasse por não servir barbatanas de tubarão durante a festa de casamento.

A tradição chinesa tem uma influência muito forte na culinária e não será fácil diminuir o consumo da carne de tubarão a curto prazo, mas a estratégia do desconto parece ter se mostrado vencedora.

Chevron estima vazamento de 404 a 650 barris no Brasil

Agência Estado

Rio de Janeiro - A unidade brasileira da petroleira norte-americana Chevron informou neste sábado que estima o vazamento de óleo ocorrido nas proximidades do Campo de Frade, na Bacia de Campos, em 404 a 650 barris. O acidente foi notificado à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na quinta-feira.

Em nota divulgada hoje, a Chevron Brasil comunicou que interrompeu as atividades de perfuração no Campo de Frade. A Chevron é a operadora do campo, que contém uma reserva recuperável estimada em 200 milhões a 300 milhões de barris de óleo equivalente. 


As informações são da Dow Jones.

11 novembro 2011

Terremoto volta a atingir leste da Turquia

Band

A Turquia volta a acompanhar o resgate de vítimas de um terremoto pela segunda vez em duas semanas. Dessa vez, dois hotéis desabaram, soterrando integrantes das equipes de resgate e jornalistas. Muitos deles conseguiram pedir ajuda pelo celular.

10 novembro 2011

Vulcão submarino nas Ilhas Canárias entra em erupção


Imagem de satélite mostra ação de Vulcão submarino nas Ilhas Canárias

No Oceano Atlântico, ao largo da Ilha El Hierro, no Arquipélago das Canárias, jatos d'água de 20 metros de altura estão sendo lançados ao ar enquanto o mar circunjacente ferve em meio ao odor de enxofre. O vulcão submarino, que deverá criar uma nova área de terra emergente, está se aproximando cada vez mais da superfície. Mas a ilha já existente correria risco devido a essas erupções explosivas?

"Os monstros emergem da água", proclamou estridentemente o jornal espanhol "La Provincia". Enquanto isso, os cientistas estão se mostrando um pouco mais tranquilos em relação ao vulcão submarino ao sul da Ilha El Hierro, nas Ilhas Canárias. Eles acreditam agora que o vulcão esteja passando pela terceira fase da sua erupção: nos últimos dias, jorros d' água estão brotando do Oceano Atlântico e elevando-se até 20 metros sobre a superfície. Na última terça-feira (8), alguns moradores da ilha viram até pedras serem lançadas do mar.

Uma turbulência efervescente, com dezenas de metros de diâmetros, borbulha na superfície do oceano. Medições mostram que os redemoinhos formados são significativamente mais quentes do que as águas circundantes.

Até então, o vulcão só tinha revelado o seu poder explosivo abaixo da superfície do mar. Mas agora as explosões ao sul da Ilha El Hierro estão fazendo a superfície espumar. A acumulação da lava está criando uma montanha submarina. O fato de a erupção ser capaz de lançar jatos d'água para o ar demonstra que a montanha está aumentando de tamanho - o centro da erupção aproxima-se da superfície. Os geólogos acreditam que uma nova área de terra poderá em breve emergir do mar, e os habitantes locais já estão procurando um nome para o novo território. Só faltam 70 metros para que a montanha atinja a superfície, segundo os especialistas do Instituto Geográfico Nacional da Espanha.

Mas qual é o perigo desse fenômeno para os moradores locais? No fim de semana passado, centenas de pessoas deixaram as suas casas na parte sul da Ilha El Hierro quando as ruas foram interditadas. E os moradores podem literalmente farejar o perigo, já que uma fumaça com um desagradável odor de enxofre está emergindo do oceano. O Instituto de Vulcanologia das Canárias detectou o triplo do nível normal de dióxido de carbono na atmosfera – o que é um sinal de que mais atividade vulcânica está por vir.

Sinal claro de que haverá novas erupções

A quantidade de distúrbios sísmicos no fundo do mar também está aumentando. Desde julho, mais de 10 mil pequenos terremotos sacudiram a Ilha El Hierro, mas a partir de 22 de outubro os tremores se tornaram cada vez mais fortes, e alguns deles chegaram até a superar a magnitude quatro na escala Richter. Os tremores estão revelando um padrão típico do fluxo de magma, o chamado tremor vulcânico harmônico – um sinal claro de que haverá novas erupções.

E os cientistas têm advertido desde setembro que se e quando essas erupções ocorrerem, elas poderão também ocorrer em terra firme. Nos últimos dias, os tremores deslocaram-se do sul para o norte da Ilha El Hierro. Como a maioria dos terremotos foram registrados a uma profundidade de pelo menos dez quilômetros, as autoridades disseram que provavelmente não existiriam riscos imediatos de uma erupção na área. A liberação de magma vinha ocorrendo apenas nas profundezas marinhas.

Mas agora a erupção aproxima-se da superfície, e os terremotos mais recentes ocorrem em profundidades menores.

Em breve poderá haver erupções no Vale El Golfo, na costa norte da ilha, ou nas suas proximidades, alertou o Instituto Geográfico Nacional. E uma liberação de lava poderá ser algo perigoso, não apenas se ocorrer em terra, mas também em águas rasas, onde o fenômeno poderia resultar em grandes explosões de vapor, alerta Ramon Ortiz, assessor científico do governo local.

Vulcões de pontos quentes

Enquanto isso, ao sul da ilha, pedras-pomes e uma quantidade maciça de cinzas podem ser observados à deriva na superfície do mar. Uma análise inicial do material produzido pelo vulcão até o momento surpreendeu os cientistas: o estudo mostra a "evidência clara do potencial explosivo" do vulcão, disse ao jornal "El Hierro Diaro" o geoquímico Domingo Gimeno Torrent, da Universidade de Barcelona.

A maioria dos chamados vulcões de pontos quentes, como aqueles das Ilhas Canárias, produz magma basáltico com um teor relativamente baixo de dióxido de silício (SiO2). O dióxido de silício atua como uma cola, produzindo um magma bastante viscoso, que gera um acúmulo de gases que, por sua vez, resulta em uma mistura explosiva. O geoquímico Torrent diz que o vulcão El Hierro, no entanto, está se alimentando de duas reservas de lava; um magma basáltico menos volátil e um outro bem mais explosivo, o magma rico em dióxido de silício.

"O perigo de grande e explosivas erupções nas Ilhas Canárias não deve ser descartado", advertiu a geocientista Rosa Sobradelo, do Conselho Nacional Espanhol de Pesquisas, em Barcelona, em um relatório publicado no periódico "Natural Hazards and Earth System Sciences" ("Perigos Naturais e Ciências do Sistema Terrestre"). Não se sabe com que frequência tais fenômenos ocorrem. Mas até mesmo as mais espetaculares explosões vulcânicas dos últimos séculos ocorreram de forma localizada.

E, segundo o Instituto Geográfico Nacional, não existe perigo de ocorrência de grandes erupções em terra. Só existem riscos na área imediatamente circunjacente ao local da erupção, onde pode haver ejeções de lava e lançamento de rochas para o ar. 

Tradução: UOL

08 novembro 2011

Onça assusta moradores de uma casa no interior do Paraná

Band

O animal foi encontrado dentro de uma churrasqueira. Policiais ambientais e veterinários sedaram a onça, que deverá ser solta no Parque Nacional do Iguaçu.

Novo passo do Código Florestal

Vigília com participação de celebridades acompanha a retomada do debate, hoje no Senado, sobre regras para produção agropecuária orientada pelo respeito ambiental hoje no Senado

Caio Cigana – Zero Hora 

Dois anos depois de voltar à discussão no Congresso, o controverso novo Código Florestal brasileiro dá mais um importante passo. O relatório do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) será votado hoje pelas comissões de Agricultura e Ciência e Tecnologia. A tendência é de que o texto seja aprovado com folga, embora siga a pressão por emendas, com forte participação de organizações ambientalistas que recrutam cada vez mais celebridades.

Levantamento de Zero Hora indica que ao menos 12 dos 16 integrantes da Comissão de Agricultura são favoráveis ao substitutivo de Luiz Henrique. No caso da Ciência e Tecnologia, nove concordam com o texto. A próxima etapa, prevista para o dia 16, será passar pela Comissão de Meio Ambiente. Depois, o relatório deve ser votado no plenário do Senado dia 22. É provável que o texto tenha de voltar à Câmara antes de ser finalmente sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

Apesar de ter assumido a relatoria sob desconfiança de ambientalistas e governo, Luiz Henrique avalia ter chegado o mais perto possível do consenso:

– Estabelecemos um grande diálogo. Além de audiências pelo país, negociamos com diversas representações: Ministério Público, Judiciário, cientistas, pequenos agricultores e megaempresários do agronegócio. Com isso, conseguimos operar um processo de convergência.

Mesmo com concessões a ambientalistas, segmento mais crítico ao texto aprovado na Câmara, permanecem reivindicações de ativistas por alterações na proposta. O Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável iniciou ontem vigília com debates transmitidos pelo site www.florestafazadiferenca.org.br, que ganhou notoriedade com a campanha para mudanças no código que reuniu celebridades como a modelo Gisele Bündchen e o cineasta Fernando Meirelles. A maratona de esclarecimento, como também é chamada a iniciativa, prossegue hoje com o acompanhamento da votação nas comissões.

– Ainda é um pouco incerto, mas esperamos que algumas emendas sejam discutidas e acatadas no projeto – diz a ativista Marussia Whately, uma das coordenadoras do comitê.

Eletronuclear pretende reforçar segurança nas usinas de Angra 1 e 2

Plano prevê sistemas flutuantes de motor a diesel e bombas hidráulicas

Ramona Ordoñez – O Globo 

A Eletronuclear quer aumentar os sistemas de segurança das usinas de Angra 1 e Angra 2 com a instalação, entre outros, de equipamentos móveis flutuantes, como motores a diesel e bombas hidráulicas. Os sistemas fazem parte do Plano de Resposta a Fukushima, que será avaliado amanhã em reunião pela diretoria da companhia.

O assessor da Diretoria Técnica da Eletronuclear, Paulo César Carneiro, disse que o plano prevê a adoção de 152 medidas adicionais de segurança nas usinas, como resultado da avaliação do acidente de março em três usinas de Fukushima, após terremoto e tsunami.

- A ideia é é ter equipamentos fora da usina e que possam ser levados até elas se necessário - disse Carneiro.

Segundo o executivo, como no Brasil não há riscos de fortes terremotos e tsunamis, os estudos consideraram chuvas, marés altas com deslizamento das encostas. Os motores a diesel e as bombas ficariam longe das usinas e seriam transportados em barcaças, em caso de necessidade. Os motores manteriam a geração de energia elétrica nas usinas, em caso de falha total do sistema, e as bombas, refrigerariam o núcleo do reator para evitar fusão nuclear.

A Eletronuclear calcula que o custo dos motores a diesel móveis e as bombas terão custo adicional de R$350 milhões, a serem investidos até 2015.

Em palestra realizada ontem, o consultor e ex-presidente da Comissão de Energia Atômica do Japão Yoichii Fujii destacou que o Japão não deve abandonar a energia nuclear para fins pacíficos.

Segundo ele, não houve mortes por causa do vazamento de radioatividade nas três das 14 usinas atingidas em Fukushima.

Mas o engenheiro nuclear Joaquim Francisco de Carvalho pondera que já foram encontrados traços de plutônio a mais de 40 quilômetros da usina, e de césio 137 nas pastagens da região, nos legumes e leite ali produzidos:

- As mortes por acidentes desse tipo não são instantâneas, vão acontecendo ao longo dos anos, por exposição à radiação.

Etanol no gelo

Flávia Oliveira – O Globo 

JÁ CHEGOU à estação brasileira na Antártica o carregamento de etanol que será usado num inédito projeto de geração de energia no continente gelado. Parceria de Petrobras, Vale Soluções em Energia e Marinha do Brasil, a ação consumiu R$2,5 milhões em investimentos. A Petrobras forneceu os 350 mil litros de álcool e vai validar seu uso em baixíssimas temperaturas. Se tudo der certo, o Brasil será o primeiro país a gerar energia com biocombustível na Antártica.