30 janeiro 2017

Ninho de tartaruga com 117 filhotes é destruído em Itaipu

Apenas 12 animais sobreviveram ao incidente com um trator de limpeza da prefeitura, na última terça-feira (24)


Raiana Collier | O Fluminense


Um ninho com 117 ovos de tartarugas marinhas foi destruído, na madrugada da última terça-feira (24), por um trator de limpeza na Praia de Itaipu, Região Oceânica de Niterói. Apenas 12 filhotes da espécie cabeçuda (Caretta Caretta) sobreviveram e já foram liberados no mar da mesma praia onde foram desovados pelo Projeto Aruanã, que faz proteção e monitoramento de ocorrências desses animais. De acordo com o Projeto, a Praia de Itaipu não é uma área de desova de tartarugas marinhas e, por isso, o caso é um “evento isolado”. Em nota, a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin) lamentou o incidente. 

Dos 117 filhotes no ninho, 105 morreram | Foto divulgação

Foi o comerciante Fábio Gomes, de 47 anos, que encontrou o ninho destruído quando chegou à Praia de Itaipu, por volta de 6h30. Ele contou que sua cadela de estimação farejou o local, o que sinalizou a situação. Depois de cavar, ele encontrou o triste cenário.

“Cerquei o local e chamei um pescador que chamou o Projeto Aruanã, que veio para cá. Aí conseguimos tirar mais de 100 ovos amassados e 12 filhotes. Avisamos para o pessoal da limpeza passar com a máquina perto principalmente da faixa de água. A máquina ajuda muito, mas nessa parte aqui é perigoso de pegar ovos”, disse.

Em comunicado, o Projeto informou que “para que o ninho fosse encontrado e protegido, seria necessário a identificação do rastro da mamãe tartaruga no dia em que ela realizou a postura, que ocorreu no final de novembro, dado a eclosão nesta semana”. Segundo a iniciativa, “infelizmente, por desconhecimento da comunidade local e órgãos responsáveis, a identificação deste ninho no momento de sua postura não ocorreu”.

A bióloga Anna Caroline Morais da Silva, do Projeto Aruanã, pontuou que a Praia de Itaipu é área de alimentação das tartarugas da espécie tartaruga-verde, e não de desova.

“As tartarugas marinhas têm um ciclo de vida complexo, em que vários fatores podem influenciar em alterações na sua postura de ninhos. As 12 tartarugas que sobreviveram foram liberadas para o mar, que é o processo natural. Todas as medidas cabíveis, juntamente com a empresa Clin, já estão sendo providenciadas para que o processo de limpeza continue, e que casos assim não voltem a ocorrer”, esclareceu.

A Clin informou que “realiza a limpeza manual nas áreas onde estão demarcados ninhos de tartarugas para evitar danos aos ovos. Este ninho específico não estava sinalizado, por isso a limpeza do local foi realizada com maquinário”. O órgão ainda destacou que, “em seu processo reprodutivo, as tartarugas marinhas cavam ninhos de até meio metro de profundidade para colocar os ovos. Após a postura, a fêmea cobre o ninho, faz a camuflagem do local de postura para evitar predadores e retorna ao mar. Daí a importância da demarcação destes locais”.

Sujeira nas praias 

A limpeza das areias da orla de Niterói, feita com maquinários, se faz necessária por conta do grande acúmulo de lixo deixado, em sua maioria, por banhistas. De acordo com a Clin, a limpeza é feita durante a noite para evitar que pequenos detritos, perfurantes ou cortantes, fiquem sob a areia causando acidentes. O Projeto Aruanã ressaltou que a praia de Itaipu “é uma importante área de alimentação e residência de tartarugas-verdes e o cuidado diário com a praia é fundamental para a saúde e sobrevivência dos animais que lá vivem, a começar pelo descarte adequado do lixo diariamente”.

De acordo com a Prefeitura de Niterói, são retiradas de todas as praias da cidade cerca de 140 toneladas por semana, sendo cerca de 55 toneladas nos fins de semana. Já com relação a Itaipu são cerca de 33 toneladas por semana, sendo cerca de 13 toneladas nos fins de semana.

A prefeitura destacou também que a Operação Verão, a ação de conscientização da Clin nas praias foi reforçada. Garis estão percorrendo as praias de Niterói distribuindo panfletos educativos, sacos de lixo para a população e orientando sobre a forma correta de descarte dos resíduos. A companhia também instalou caçambas de lixo extra nas praias mais frequentadas da cidade.


Postar um comentário