04 janeiro 2015

Paciente possivelmente exposto ao ebola ficará em observação nos EUA

Exposição ao vírus pode ter ocorrido em Serra Leoa.

Hospital já tratou de três outros pacientes infectados pelo ebola.


Reuters

Um trabalhador da área de saúde dos Estados Unidos que possivelmente foi exposto ao vírus ebola em Serra Leoa deve chegar para ficar em observação no domingo em um hospital de Nebraska que já tratou de três casos de ebola, disseram autoridades hospitalares.

O paciente, que não foi identificado, era esperado para chegar à Unidade de Isolamento Biológico do centro médico da Universidade de Nebraska em Omaha via ambulância aérea nessa tarde para observação e possível tratamento, informou o centro médico em comunicado.

O paciente "foi exposto ao vírus, mas não está doente e não é contagioso", disse o Dr. Phil Smith, diretor médico da unidade, acrescentando que "vamos tomar todas as precauções adequadas."

Ele não deu detalhes sobre como a possível exposição ocorreu.

A mesma equipe que cuidou de três pacientes com ebola anteriores na instalação, dois dos quais foram tratados com sucesso, estaria trabalhando no caso, disse Smith. Um terceiro paciente que chegou gravemente doente morreu pouco tempo depois.

O centro vai monitorar o desenvolvimento da infecção durante o período de incubação de 21 dias por meio de observação e de exames de sangue.

No sábado, um hospital de Londres disse que uma enfermeira britânica em tratamento para o ebola estava em estado crítico depois de seu estado ter se deteriorado ao longo dos últimos dois dias.

The Royal Free Hospital disse que Pauline Cafferkey, 39, a primeira pessoa diagnosticada com ebola em solo britânico, havia retornado para a Grã-Bretanha de Serra Leoa, onde estava trabalhando para uma instituição de caridade.

O ebola, uma febre hemorrágica, já matou mais de 8.000 pessoas, de mais de 20.000 casos em um surto que começou em março. A maioria de todos os casos foram na Libéria, Serra Leoa e Guiné.