03 outubro 2014

Chuvas elevam volume de água das Cataratas do Iguaçu em seis vezes

Vazão atingiu 9,77 milhões de litros de água por segundo na atração.
Chuva levou cinco cidades do estado a decretarem situação de emergência.


Do G1 PR

As chuvas que têm caído no Paraná há mais de uma semana elevaram em seis vezes o volume total das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. De acordo com a administração do Parque Nacional do Iguaçu, a vazão de água registrada nesta quinta-feira (2) atingiu 9,77 milhões de litros de água por segundo no início da manhã. Durante a tarde, o volume ainda era alto, mas havia reduzido um pouco, para 9,2 milhões de litros por segundo. O normal é que o volume de água nas quedas esteja na casa de 1,5 milhão de litros por segundo.

Apesar do volume acima do normal, a passarela que leva os turistas até a Garganta do Diabo, a principal queda das Cataratas no lado brasileiro, permanecia aberta para os turistas. Técnicos têm feito a avaliação regular das condições de segurança no atrativo.



Estragos pelo estado

Um novo boletim da Defesa Civil, divulgado às 18h, mostra que cinco cidades decretaram situação de emergência no Paraná. Ao todo, 22.219 pessoas foram atingidas por estragos decorrentes dos temporais. O número aponta um aumento de aproximadamente 7 mil pessoas, em relação ao boletim anterior, das 12h.

As cidades que decretaram emergência foram Bom Jesus do Sul, Ariranha do Ivaí, Rosário do Ivaí, Roncador e Honório Serpa. Ao todo, 50 cidades registraram estragos relacionados à chuva. Uma pessoa ficou ferida em Cruzeiro do Oeste.

A cidade com mais pessoas atingidas, conforme a Defesa Civil, foi Honório Serpa, onde 3 mil moradores tiveram algum problema relacionado à chuva. Em Francisco Beltrão, no sudoeste do estado, 850 pessoas estão desalojadas e outras 40 estão desabrigadas. Ao todo, 310 casas foram danificadas no município.

A prefeitura de Rosário do Ivaí calcula que o prejuízo com a chuva passe de R$ 1 milhão. A situação de emergência foi decretada nesta quinta após seis pontes e 15 bueiros serem danificados pela chuva que atingiu o município. Os prejuízos também chegaram à área rural, e a estimativa é de que em torno de 6 mil caixas de tomates e 30% da produção de uva tenham sido perdidos, conforme a Defesa Civil.

Esta é a terceira vez que a cidade decreta situação de emergência em dois anos. "Dessa vez estimamos que três mil pessoas foram prejudicadas. A população é formada por pequenos produtores rurais e se há problemas no campo, o pessoal da cidade é diretamente impactado", detalha o coordenador municipal da Defesa Civil, Paulo Sérgio Ruiz.

Cerca de 50 alunos estão perdendo aulas porque os ônibus escolares não conseguem chegar a algumas áreas. O transporte de leite das propriedades rurais foi interrompido porque os caminhões usados no escoamento da produção também não conseguem ter acesso às regiões mais atingidas.

Em Ariranha do Ivaí, os prejuízos passam dos R$ 5 milhões. De acordo com a Defesa Civil, nos dias 26 e 27 de setembro choveu 350 mm na cidade, impedindo a colheita do trigo plantado nas propriedades rurais. Pontes e estradas também foram destruídas. Essa foi a segunda vez que a cidade decretou situação de emergência. A primeira foi em junho deste ano, após a forte chuva que atingiu todo o estado nos dias 6,7 e 8.


Postar um comentário