30 setembro 2014

EUA confirmam primeiro caso de ebola diagnosticado no país

Informação é dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.
Nesta segunda-feira, paciente havia sido isolado em hospital de Dallas.


Do G1, em São Paulo

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos confirmaram, nesta terça-feira (30), o primeiro caso de ebola diagnosticado no país. O órgão fornecerá mais informações sobre o caso em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira.

Segundo a AFP, o paciente é um homem que contraiu o vírus na Libéria e viajou ao Texas, onde foi hospitalizado com sintomas que foram confirmados como o vírus ebola. A informação foi confirmada por um porta-voz do CDC à agência.

Desde que começou a epidemia de ebola na África Ocidental, os Estados Unidos já tinham recebido americanos infectados pela doença. Porém, nesses casos, eles já chegaram ao país com o diagnóstico da infecção, com uma estrutura de isolamento já preparada para recebê-los. Foi o caso do médicos missionários Kent Brantly e Rick Sacra, além da trabalhadora voluntária Nancy Writebol. Infectados na Libéria, os três foram tratados nos Estados Unidos e tiveram alta recentemente.

Paciente isolado

Nesta segunda-feira (29), um paciente havia sido isolado em um hospital de Dallas, nos Estados Unidos, após apresentar sinais de estar infectado com ebola. Ainda não foi confirmado se este é o mesmo caso confirmado pelo CDC.

O Hospital Texas Health Presbyterian disse em um comunicado que os sintomas apresentados pelo paciente e uma recente viagem feita por ele indicavam um possível caso de ebola.

Os testes preliminares feitos no paciente deveriam ficar prontos nesta terça-feira. Não foram dados mais detalhes sobre este paciente.

Mais de 3 mil mortos na África

O balanço mais recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) calculou que 3.091 pessoas já morreram de ebola desde o início da epidemia, em março, em cinco países da África Ocidental. Ao todo, 6.574 pessoas foram infectadas nessa região.

Só a Libéria já registrou 1.830 mortes, quase três vezes mais do que Guiné e Serra Leoa, os outros dois países mais afetados pela doença, de acordo com as informações da OMS.

A Nigéria e o Senegal, as duas outras nações que tiveram casos confirmados de ebola na região, não tiveram o registro de novos casos ou mortes.


Postar um comentário