Estiagem revela pedras escondidas há 70 anos no rio Tietê

Seca fez rio baixar 8 metros na região de Salto.
Vazão do rio caiu mais de 50% nos últimos meses.


Do G1 Sorocaba e Jundiaí

A estiagem que atinge o estado de São Paulo baixou o nível do rio Tietê, em Salto (SP), permitindo que pedras que não eram vistas há pelo menos 70 anos fiquem à vista. Se antes, as cachoeiras eram a atração, agora, turistas e moradores veem um caminho de pedras

A vazão do rio diminuiu mais de 50% nos últimos meses. Segundo moradores de Salto, o nível do rio baixou 8 metros em relação ao período da cheia. Quando comparado ao período de estiagem de outros anos, o rio baixou 5 metros.

A falta de chuva revelou pedras que não eram vistas há décadas. Mostrou também uma paisagem ainda mais impressionante, a sujeira e resíduos de todo tipo. Alguns objetos encontrados impressionam, como calçados e até um capacete. Em outro ponto, milhares de garrafas pet estão acumuladas.

Depois de passar pela capital, o rio Tietê chega a Salto bem poluído e forma muita espuma. Mas até ela está bem mais escassa por causa da seca.

Há 4 meses, uma grande queda d’água podia ser vista pela região, mas com o pouco volume de água, o Tietê virou apenas um riacho entre as pedras.

O sobrevoo feito com o equipamento da TV TEM, revela a grande quantidade de pedras que antes ficavam submersas. Quem está acostumado a ver fartura de água se assusta com o cenário da estiagem.

Os moradores mais antigos da região não têm dúvida de que esta é a pior seca da história do rio." Quando comparo com minha infância, dá pra ver que a situação está feia", diz Camilo Ziviani.

Pedras que não eram vista há 70 anos estão à vista em Salto (Foto: Reprodução/ TV TEM)Pedras que não eram vistas há 70 anos estão à vista em Salto (Foto: Reprodução/ TV TEM)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas