Após 5ª maior cheia, vazante do Rio Negro inicia em Manaus, diz CPRM

Nível do rio apresentou primeira diminuição desde outubro de 2013.
Vazante deve ser intensificada em agosto deste ano, de acordo com órgão.


Diego Toledano
Do G1 AM

O nível do Rio Negro começou a registrar baixa nesta semana, segundo o Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Após atingir o ápice em junho deste ano, com 29,48m, o rio apresentou a primeira queda de nível em nove meses, de um centímetro, de segunda-feira (23) para esta terça-feira (24). Para o órgão que acompanha o nível do rio, o decréscimo significa o início do processo de vazante do Rio Negro. A cheia deste ano foi a quinta maior registrada na capital.


Carregadores precisam se equilibrar com mercadorias nas passarelas de madeira instaladas pela Defesa Civil (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)Ruas no Centro de Manaus ficaram alagadas com cheia do Rio Negro (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)


Em entrevista ao G1, o superintendente do CPRM, Marco Antônio de Oliveira, informou que o processo é reflexo de uma atividade climática na região. "Quase todas as estações dos rios Solimões e Amazonas já estão em processo de vazante. Dificilmente, vamos ver alguma elevação a partir de agora", explicou.

A diminuição do nível do Rio Negro, segundo o superintendente, é resultado do início do período de verão no Amazonas. "A cheia é provocada por chuvas que caem por toda a bacia amazônica. À medida que entramos em transferência para um período mais seco e com menos precipitação, a vazante é iniciada", disse.

A partir de agora, Oliveira afirmou que a intensidade da baixa do Rio Negro deve aumentar gradativamente, com maior decréscimo a partir do próximo mês. "Estamos bem no início da vazante, então devemos perceber diminuição de até um centímetro por dia até o final de julho. Já a partir de agosto, as diminuições podem chegar a 10, 15 cm", previu.

A cheia deste ano ficou pouco menos de 40 cm abaixo da cheia histórica de 2012, quando alcançou 29,97m. Com as inundações, Manaus decretou situação de emergência ainda em maio. Pelo menos 14 bairros da área central da cidade foram afetados pela cheia.

Ainda segundo o CPRM, as águas do Rio Negro têm subido lentamente em 2014. Do dia 5 para o dia 6 deste mês, por exemplo, o órgão apontou que o nível do rio não se alterou. Antes disso, houve o aumento de 2cm consecutivo por dois dias seguidos. Além disso, do dia 1º deste mês para o dia 2, houve elevação de apenas 1 cm.

Sobre outros municípios que enfrentaram problemas sérios por conta da cheia - como Humaitá e Boca do Acre -, o superintendente informou que é possível dizer que estão em "franca vazante". "Humaitá, por exemplo já saiu da cota de emergência. Municípios do Alto Purus e da calha dos Rios Solimões e Amazonas também já apresentam melhorias que devem ser aprimoradas nos próximos meses", disse.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas