Chile tem seis mortes e mais de 972 mil pessoas removidas por terremoto

Seis pessoas morreram e 972.457 foram retiradas de suas casas por conta do terremoto de 8,2 graus no norte do Chile


EFE

O Escritório Nacional de Emergência (Onemi) do Chile confirmou nesta quarta-feira que seis pessoas morreram e 972.457 foram retiradas de suas casas por conta do terremoto de 8,2 graus ocorrido ontem na região norte do país.

Segundo o relatório do diretor da Onemi, Ricardo Toro, do total de vítimas, três morreram em virtude de parada cardiorrespiratória, duas esmagadas em deslizamentos de terra e uma devido a queda durante a evacuação. Ainda conforme o documento, oito estradas permanecem interditadas em diferentes pontos das regiões afetadas, declaradas zonas de emergência.

Em Arica 87% da rede elétrica já foi restabelecida. Já a água voltou a 67% dos domicílios. Em Tarapacá, no entanto, 38.509 famílias ainda estão desabrigadas por cortes de energia, e os municípios de Iquique e Alto Hospicio estão sem água potável.

O Centro Sismológico Nacional informou que, até o momento, 96 réplicas do terremoto foram registradas. Do total, oito foram percebidas pela população e uma foi de intensidade média.

O hospital regional de Iquique sofreu danos que ainda estão sendo avaliados, enquanto cerca de duas mil casas foram danificadas no município de Alto Hospicio, próximo a Iquique, na região de Tarapacá, cerca de 1.860 quilômetros ao norte de Santiago.

O terremoto aconteceu às 20h46 (mesmo horário em Brasília) de ontem com epicentro no mar, a 89 quilômetros ao sudoeste de Cuya, na costa da região de Tarapacá.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas