Primeira residência carioca com microgeração de eletricidade interligada à rede recebe certificação

Por Ana Paula Verly – Equipe RCE

A primeira residência do Rio de Janeiro com microgeração de energia solar fotovoltaica conectada à rede da Light foi certificada nesta quinta-feira, 31 de outubro, com o Selo Solar – uma iniciativa do Instituto Ideal e da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O evento foi realizado no âmbito do “Ano da Alemanha no Brasil”, que tem como objetivo celebrar a parceria entre os dois países.

Com apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW), a certificação foi entregue a Hans Rauschmayer, idealizador do sistema, durante uma cerimônia na própria residência, em Santa Tereza.

O sistema de microgeração desenvolvido por Hans, com o apoio técnico do engenheiro elétrico Paulo Marcial e investimento de R$ 20 mil, é a primeira instalação deste tipo no estado do Rio conectada à rede conforme a resolução n° 482 de 2012 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com Ricardo Külheim, da GIZ, a iniciativa tem se mostrado uma “valiosa” experiência e é uma referência para futuros projetos.

Desde a instalação dos painéis com placas fotovoltaicas, em agosto, Hans economizou R$ 250 na conta de luz e evitou a emissão de 360 kg de gás carbônico. Com capacidade para gerar até 11 kWh, o sistema injeta o excedente na rede da Light, que o reverte em créditos para serem utilizados quando o consumo superar a geração. A economia mensal até agora girou em torno de 58% - cerca de 50 centavos a menos por cada quilowatt gerado.

Hans documentou todo o processo da instalação para auxiliar a Light na questão da microgeração interligada. Segundo a engenheira Priscila Ferreira, da Gerência de Planejamento da Light, que trata da geração distribuída, desde a experiência de Hans, outras cinco residências já instalaram um sistema de microgeração interligada à rede no Rio de Janeiro.

“O painel de Hans é um marco. A Light tem 110 anos e o primeiro painel é o de Hans. Como a tecnologia é nova, trata-se de um aprendizado tanto para nós, a concessionária, quanto para o cliente, o Hans, e os instaladores, que executaram as instalações novas. O resultado foi positivo e essa questão só tem a crescer e a evoluir, com mais conexões e mais aprendizado tanto para o sistema da micro quanto o da minigeração”, comemorou Priscila.

Para o coordenador do Prêmio Qualidade Rio, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços (Sedeis), Eurico Marchon, a intenção é que toda a cadeia de microgeração de energia solar fotovoltaica - da implantação à manutenção – seja “produtiva” e com isso se consiga, na escala, “reduzir o preço e ganhar em eficiência e segurança”.

O Selo Solar foi criado em 2012 como um reconhecimento para instituições públicas e privadas e proprietários de edificações que consomem um valor mínimo anual de eletricidade solar ou que têm pelo menos 50% do seu consumo de eletricidade vindo de fonte solar. A residência de Hans recebeu a certificação por ser a primeira a se enquadrar nos pré-requisitos do selo.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas