06 maio 2011

Vídeo revela a existência de safáris ilegais em Mato Grosso do Sul

Jornal Nacional

Imagens feitas por turistas estrangeiros mostram onças sendo caçadas no Pantanal do MS. No vídeo, aparecem Antonio Teodoro de Melo Neto, que está com a prisão decretada por caça ilegal, e a pecuarista e ambientalista Beatriz Rondon.

05 maio 2011

Vazamento nuclear força navio russo a retornar ao porto

DA FRANCE PRESSE, EM MOSCOU (RÚSSIA)

Um vazamento nuclear foi detectado nesta quinta-feira a bordo de um navio quebra-gelo russo de propulsão nuclear que estava no oceano Ártico.


O vazamento obrigou a embarcação a retornar ao porto no mar de Barents, informou a agência federal Rosatom.

Segundo a Rosatom, foi detectado um "aumento insignificante em atividade" a bordo do navio Taimyr. O incidente foi sério o suficiente para forçar o enorme navio a abandonar sua missão e voltar ao porto na cidade de Murmansk (noroeste). 



Andrey Pronin-02.nov.09/France Presse
O quebra-gelo russo Taimyr no porto de Murmansk; vazamento está no nível zero de escala de acidentes nucleares
O quebra-gelo russo Taimyr no porto de Murmansk; vazamento está no nível zero de escala de acidentes nucleares

Funcionários do governo russo disseram que os níveis de radiação elevados foram detectados inicialmente no sistema de ventilação que circunda o núcleo do reator. Os níveis de radiação continuaram normais do lado de fora da câmara de proteção do material nuclear.

Um funcionário do navio disse que outro quebra-gelo foi enviado à região para ajudar na viagem de volta do Taimyr ao porto.

"Se a situação se deteriorar, o sistema de reator vai ser fechado e o processo de resfriamento começa", explicou a Rosatom, acrescentando que a gravidade do incidente estaria no nível zero dos sete pontos da Escala Internacional de Eventos Radiológicos e Nucleares. Este nível significa "nenhuma importância para segurança".

Alagoas está em estado de alerta por causa da chuva

Bom Dia Brasil

Em Alagoas, 4,7 mil pessoas estão desabrigadas por causa da chuva no estado. As chuvas que caem desde o final de semana causaram uma morte. Moradores de cidades pequenas revivem a tragédia de perder tudo.

Chuva deixa quase dez mil pessoas desabrigadas em dois estados do Nordeste

Jornal Hoje

Todos os estragos foram provocados por uma quantidade de chuva acima da média do mês de maio. Nos últimos quatro dias choveu 150 milímetros na Região Metropolitana do Recife. O número é mais da metade do esperado para o mês inteiro.

Aquecimento ártico pode fazer mar subir 1,6 metro neste século

Novo estudo indica derretimento recorde e calor mais intenso dos últimos 2.000 anos

DA FRANCE PRESSE
- Folha de SP

O aquecimento do Ártico, a uma velocidade duas vezes maior do que a média global, deverá elevar o nível do oceano em até 1,6 metro em 2100, ampliando as estimativas feitas pelos cientistas alguns anos atrás, diz um estudo divulgado nesta terça-feira.

 
O derretimento do gelo e da neve tem sido responsável por 40% do recente aumento do nível do oceano e deve causar um impacto ainda maior no futuro, de acordo com o Amap (Projeto de Monitoramento e Avaliação do Ártico, sediado em Oslo.)

 
"O nível global dos oceanos tem previsão de aumento entre 0,9 m e 1,6 m até 2100. O derretimento das geleiras do Ártico e das calotas de gelo da Groenlândia darão uma contribuição substancial para isso", diz o artigo.

 
Mesmo tratando-se de um evento relativamente lento, ele deve trazer consequências devastadoras para as cidades costeiras, principalmente as densamente povoadas e de localização mais baixa, como algumas regiões de Bangladesh, Vietnã e China.

 
No começo de 2007, o IPCC (painel do clima da ONU) previu que os oceanos iriam se elevar entre 18 e 59 centímetros até o final do século.

 
Contudo, o estudo não havia incluído o potencial do impacto do derretimento, especialmente vindo da Groenlândia. Sozinha, ela contém água congelada suficiente para elevar o oceano em no mínimo cinco metros.

 
O estudo mostra que os últimos seis anos foram os mais quentes já registrados no Ártico. Nos últimos verões, as temperaturas ali foram as mais elevadas em 2.000 anos.

Nordeste já tem 50 mil desabrigados e 21 municípios em emergência por conta das chuvas

Carlos Madeiro e Aliny Gama
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

As chuvas que atingem a região Nordeste continuam causando prejuízos a dezenas de municípios: já são mais de 50 mil pessoas desabrigadas ou desalojadas. A situação mais grave é em Pernambuco. Novo boletim da Defesa Civil Estadual, divulgado na noite desta quarta-feira (4), aponta que 74.783 pessoas foram afetadas pelas chuvas no Estado, com 3.934 famílias desabrigadas e 7.184, desalojadas – o que significa algo em torno de 45 mil pessoas.


Em Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte já são mais de 60 cidades afetadas e 21 em situação de emergência nesta semana. Além desses municípios, outros 14 já haviam decretado emergência em março e abril: oito no Maranhão, quatro na Bahia, um no Rio Grande do Norte e um em Sergipe. Ao todo, são 35 municípios em emergência atualmente em toda a região.

Em Pernambuco, subiu para 10 o número de cidades que tiveram situação de emergência decretada – todas nesta quarta-feira. A situação mais grave é em Barreiros, na zona da mata sul, onde 19.955 pessoas foram afetadas e 3.991 casas foram destruídas ou danificadas pela cheia do rio Una. Praticamente toda a cidade foi alagada e os moradores estão em abrigos. Pelo menos 10 bairros estão isolados, e a prefeitura decretou estado de calamidade pública – que ainda não foi reconhecido pela Defesa Civil estadual.


Em Recife chove forte nesta quarta-feira, e a Defesa Civil registrou mais de 369 ocorrências até as 19h. O órgão informou que realizou 82 vistorias e colocou 17.390 m² de lonas em 80 pontos diferentes de risco da cidade.


Em nota, a prefeitura diz que “o Recife inicia o mês de maio com a perspectiva de mais um mês com chuva recorde. Entre o domingo (1º) e às 9h desta quarta-feira (4), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) contabiliza 255 milímetros de chuva, o que representa 80,3% da precipitação esperada para o mês de maio inteiro, cuja média histórica é de 318,5mm”.

Em Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana, as comemorações dos 418 anos do município foram canceladas. Segundo a prefeitura, 7.000 pessoas foram afetadas.


Por conta da nova tragédia, o Corpo de Bombeiros de Pernambuco iniciou campanha de arrecadação de donativos. A prioridade é arrecadar água potável de 10 ou 20 litros, fraldas descartáveis e leite em pó.


Em Alagoas, o nível das águas do rio Manguaba e Jacuípe, que subiram mais de 5 metros, estão diminuindo. Segundo a Defesa Civil Estadual, 10 cidades foram afetadas, sendo que nove estão em emergência e uma está em estado de atenção. O número de desabrigados e desalojados permanece em 4.721.

O maior problema no Estado é a falta de donativos para as vítimas da tragédia. Em nota, a Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social informou que a previsão é que, nesta quinta-feira (5), os municípios recebam os colchões e a água mineral diretamente dos fornecedores. Já as cestas básicas, que vêm da Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] de Pernambuco devem chegar a Alagoas na madrugada desta quinta-feira.


Em Jacuípe, por falta de prédios públicos para abrigar as vítimas das enchentes, as famílias estão dormindo em 10 ônibus. As escolas das cidades da região norte estão superlotadas.


O governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) informou que vai a Brasília nesta quinta-feira pedir recursos para reconstrução das cidades.


A Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas) informou que apenas três municípios do Estado apresentam problemas de fornecimento de água. Já a Eletrobras Distribuição Alagoas garante que a energia elétrica foi restabelecida nas 10 cidades afetadas.


Na Paraíba, a Defesa Civil informou que 300 pessoas estão desalojadas e desabrigadas. Apenas a cidade de João Pessoa decretou emergência. Campina Grande e Natuba também finalizaram relatório e decretaram situação de emergência, ainda não reconhecida pelo órgão estadual.


Segundo o coordenador da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Rufino Tavares, um relatório detalhado será apresentado nesta quinta-feira, às 11h, ao governador, Ricardo Coutinho (PSB). Por conta da chuva, o Tribunal de Justiça da Paraíba suspendeu, por tempo indeterminado, os prazos processuais na comarca de Cabaceiras. O motivo é a “impossibilidade de funcionamento do Fórum Dr. João Agripino Filho, em face do transbordamento do rio que banha o município”. O prédio ficou totalmente alagado.


Na cidade de Natuba, na divisa com Pernambuco, a zona urbana continua com difícil acesso, que acontece exclusivamente por Pernambuco e com veículos de tração.


No Rio Grande do Norte, a Defesa Civil homologou apenas emergência em Ipanguaçu, no Vale do Açu. A cidade está com 150 famílias desabrigadas (cerca de 600 pessoas). Quatro bairros e 13 comunidades continuam isolados.


Segundo o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Josenildo Acioli, a cidade de Natal também sofreu com alagamentos nesta quarta-feira, mas a chuva deu uma trégua e água já escoa. “Não registramos ocorrências graves, nem desabrigados na cidade”, informou ao UOL Notícias.


Um trecho da BR-101, sentido Parnamirim/Natal, foi interditado à tarde devido ao risco de desabamento. Após avaliação da Secretaria de Estado da Infraestrutura e engenheiros do Exército, o tráfego de veículos foi liberado. Por medida de prevenção de acidentes, homens do Exército colocaram lonas paras proteger a barreira e vão ficar de prontidão no local.


A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) divulgou que quatro cidades estão sem abastecimento de água devido ao rompimento da Adutora Monsenhor Expedito: Campo Redondo, Coronel Ezequiel, Jaçanã e São Bento do Trairí estão sem abastecimento desde o último sábado e não há previsão de retorno.


Previsão de mais chuva

Segundo aviso emitido pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais), a previsão é que, nesta quinta-feira (5), a chuva intensa se concentre no litoral entre os Estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte.

“Sobre o litoral do Estado de AL a intensidade da chuva começará a diminuir, porém ainda ocorrerá chuva de intensidade fraca e/ou moderada. Na sexta-feira (6) a situação tende a melhorar em todo o litoral dos Estados de AL, PE, PB e RN, esperando-se chuvas isoladas e de fraca intensidade”, diz o comunicado.

03 maio 2011

Relator do Código Florestal faz concessões para votar projeto esta semana

Camila CampanerutDo UOL Notícias
Em Brasília

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira (2), o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) apresentou sua versão final do relatório sobre o projeto que reforma o Código Florestal Brasileiro. Segundo o relator, no texto prevaleceu o consenso entre a posição do governo federal, de ambientalistas e de ruralistas.


“Não posso avaliá-lo como avanço ou retrocesso. É um [novo] código necessário e possível. Saímos de uma legislação suspensa por um decreto que não poderia ser aplicável para uma lei que pode ser cobrada”, avaliou o relator.

Com relação à polêmica sobre as APPs (áreas de preservação permanentes), o relatório do parlamentar sucumbiu aos pedidos dos ambientalistas e do governo e manteve o mesmo patamar da legislação atual: as propriedades margeadas por rios de até 10 metros de largura deverão manter a proteção de uma área de 30 metros. Os ruralistas brigavam por uma redução em até 7,5 metros.

De acordo com o relator, os proprietários que não estiverem com a área mínima de 30 metros preservada serão obrigados a recompor a mata ciliar em até 15 metros.

Outro ponto controverso que foi mantido no texto diz respeito à dimensão destinada às reservas legais: para propriedades em florestas o índice continua sendo 80%; no Cerrado, 35%; em áreas de campos gerais, como Pampas e Caatinga, o número fica em 20%; e em imóveis localizados nas demais áreas do país, 20%.

Já os proprietários rurais podem comemorar a mudança que estipula que as APPs e as áreas referentes à reserva legal serão somadas e não mais consideradas individualmente. Os proprietários com até quatro módulos fiscais (de 20 a 400 hectares) não serão obrigados a reflorestar nem a compensar áreas desmatadas além do permitido.

Em vez de multa, a ideia do relator – seguindo a orientação do governo federal – é beneficiar por meio de incentivos fiscais os ruralistas que preservarem o meio ambiente. Esses benefícios ainda serão definidos pelo governo federal em acordo com os governos estaduais e municipais.

O objetivo de tantas concessões do relator é permitir que o projeto seja votado ainda esta semana e seguir rapidamente para o Senado para que a sanção saia antes de 11 de junho, quando expira o prazo previsto em decreto assinado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinando punições aos proprietários que desrespeitarem o Código Florestal.

Na reunião entre as lideranças partidárias nesta terça-feira (3), os parlamentares irão definir se o tema entra ou não na pauta de votação em plenário. 


Contrariando a opinião da bancada ambientalistas que pede mais tempo para discutir o assunto, o relator disse que “os dois anos de discussão da proposta, as vistas a 21 Estados e as centenas de audiências públicas” foram suficientes para chegar a um projeto de “consenso”.

Caso o projeto seja aprovado como Rebelo redigiu, os proprietários poderão legalizar suas propriedades nos órgãos ambientais de suas regiões. A sugestão do Ministério do Meio Ambiente é expandir o recebimento desses trabalhadores nas prefeituras de todo o país.

Segundo Rebelo, o pagamento de multas permanece “interrompido”. Os proprietários terão o prazo de um ano para legalizar seus imóveis rurais, a contar da data de implementação do cadastro nacional.
 

02 maio 2011

Potencial eólico no País equivale a até 30 usinas de Itaipu

Segundo EPE, potencial mapeado no País seria equivalente a 143 mil MW

EcoDebate 

O Brasil tem potencial para gerar até 300 mil MW de energia elétrica a partir de parques eólicos, estima o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim. O potencial mapeado no País seria equivalente a 143 mil MW, segundo ele. Reportagem de Daniela Amorim e Alexandre Rodrigues, da Agência Estado.

“Para efeito de comparação, a usina hidrelétrica de Itaipu tem capacidade de 14 mil MW, ou seja, o potencial eólico seria equivalente a 10 Itaipus. Mas com os geradores mais modernos que temos hoje, estimamos que a capacidade poderia mais chegar a 300 mil MW, ou 30 usinas de Itaipu”, disse Tolmasquim.

Ele defendeu nesta sexta-feira, 29, a construção de usinas hidrelétricas, mesmo em regiões com ecossistema sensível, como a Amazônia. Segundo Tolmasquim, é possível criar contrapartidas ambientais, que permitiriam recuperar áreas degradadas e ainda obter a geração elétrica para o desenvolvimento do País. Tolmasquim lembrou que 60% do potencial hidrelétrico brasileiro estão na região amazônica.

“Há um preconceito contra as hidrelétricas. É possível conciliar a construção de usinas com a preservação do meio ambiente. Algumas vezes, há como exigir na construção a recuperação de áreas degradadas”, disse.

O presidente da EPE contou ainda que o Brasil tem o terceiro maior potencial mundial para construção de hidrelétricas, ficando atrás só da China e da Rússia. Mas o País utilizaria atualmente apenas um terço desse potencial. “A energia hidrelétrica é uma energia limpa e altamente competitiva”, defendeu.

01 maio 2011

Tornados arrasam sul dos EUA e deixam 280 mortos e 941 feridos

Cerca de 100 ciclones - a maioria com velocidades entre 80 e 120 km/h - passam pelos Estados do Alabama, Tennessee, Mississippi, Georgia, Virginia e Kentucky; Serviço Nacional de Meteorologia prevê mais tempestades no país

Denise Chrispim Marin - O Estado de S.Paulo

 
Seis Estados americanos amanheceram ontem devastados por cerca de cem tornados, que provocaram a morte de ao menos 280 pessoas e ferimentos em outras 941, segundo dados divulgados até as 19 horas. Somente no Alabama, as vítimas totalizaram 194. Washington declarou estado de emergência em toda a região.

 
Órgãos federais e estaduais enviaram equipes em helicópteros e aviões para avaliar os danos.

 
Cerca de 2 mil soldados da Guarda Nacional e centenas de policiais e bombeiros seguiram para a região para auxiliar as vítimas e prevenir novas tragédias. O Serviço Nacional de Meteorologia previu ontem a formação de mais tornados nos próximos dias.

 
Atento para não repetir sua visita tardia às vítimas do vazamento de petróleo no Golfo do México, no ano passado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou que visitará o Alabama hoje.

"Nós não podemos controlar quando nem onde uma tempestade terrível vai cair, mas nós podemos controlar a reação a seus impactos", declarou Obama, candidato democrata à reeleição em 2012. "Vamos fazer o que for necessário para ajudar as pessoas a reconstruir suas vidas. Faremos o possível", prometeu.

 
A maioria dos tornados passou a uma velocidade de 80 a 120km/h pelo Alabama e seguiu para os Estados de Tennessee, Mississippi, Georgia, Virginia e Kentucky.

 
A situação no Alabama, o oitavo Estado mais pobre dos EUA, foi a mais grave. A maioria das casas, construídas com madeira justamente para evitar danos provocados pelos habituais tornados que ocorrem nesta época do ano, foi destruída. Em toda a região sul dos EUA, os residentes costumam manter um porão para se proteger.

 
À imprensa, o governador do Alabama, Robert Bentley, afirmou que poucas pessoas são capazes de deixar suas casas e procurar proteção em outros lugares quando alertas sobre a passagem de um tornado são emitidos, como ocorreu na quarta-feira. "O povo do Alabama entende a força dos tornados. Mas não há como retirar milhares de pessoas em cinco minutos."

 
Dezenas de milhares de moradores estão desabrigadas no Estado, e 335 mil residências e estabelecimentos comerciais estão sem eletricidade, segundo a Companhia Alabama de Energia. A empresa advertiu para um desastre maior do que os provocados pelos furacões Ivan (2004) e Katrina (2005) se novos tornados atingirem a região. A passagem do Katrina resultou em 1.836 mortes, dentre as quais 1.577 no Estado da Louisiana.

 
Mágico de Oz. A corretora de imóveis Sharon Blue, de 57 anos, abrigou-se com seus dois cachorros na lavanderia, único cômodo que permaneceu em pé de sua casa de tijolos em Birmingham, Alabama, segundo o jornal The New York Times. Rezando, ela viu o telhado, sua coleção de Bíblias e a geladeira voarem com os tornados.

 
"Eu pensei que a casa toda sairia voando. Foi como a Dorothy em "O Mágico de Oz". Eu só segurava meus cachorros e rezava", relatou. Brian Wilhite, clínico geral do Hospital Druid City, em Tuscaloosa, cidade com 180 mil habitantes, afirmou à rede de TV CNN ter-se lembrado da Guerra do Vietnã. "Um médico viu duas pessoas morrerem diante dele, sem que pudesse fazer nada", contou.

 
"Parece que caiu uma bomba atômica. Vizinhanças inteiras desapareceram."

 
O dono de restaurante Gary Lewis também relatou o desaparecimento completo da Rua 15, de Tuscaloosa, onde ficavam as principais redes de fast-food e de comércio. "Essa coisa, essa tarde, foi um monstro."

 
O bairro de Alberta, na mesma cidade, também "se foi", relatou Fred Jackson ao jornal The Tuscaloosa News. "A terra começou a se mover, as raízes foram arrancadas, tudo estava se movendo. Minha casa foi destruída. Tivemos de sair pela janela. Perdemos tudo", afirmou.