29 abril 2011

Ibirapuera terá poste de LED até fim de maio

Parque ganhará luz similar à da Paulista 

CRISTINA MORENO DE CASTRO e ADRIANO BRITO - FOLHA DE SP
DE SÃO PAULO

No fim de maio, quem for ao parque Ibirapuera (zona sul de SP) à noite - ele funciona das 5h à 0h - encontrará ruas mais iluminadas.

 
O parque vai ganhar uma luz parecida com a da avenida Paulista, com lâmpadas de vapor metálico e LED no lugar das atuais, de vapor de sódio ou mercúrio.

 
Além disso, algumas ruas internas que ficavam às escuras vão ganhar postes a mais, passando dos atuais 1.352 postes em 13 km para 1.649, ao longo de 16 km.

 
Toda a obra custou R$ 10,6 milhões e está sendo feita pelo Ilume (Departamento de Iluminação Pública da prefeitura) e pela Eletropaulo.

 
A obra, que começou em março do ano passado, quando a fiação começou a ser enterrada, precisa do arremate final para ser notada pelo público: a substituição propriamente dita de postes e luminárias, que deve ocorrer nos próximos 20 dias.

 
Aqueles espigões de 9 a 13 metros de altura serão trocados por postes de 5 m. Dessa forma, os novos postes ficam abaixo das copas das árvores, que vão fazer menos sombra e, ao mesmo tempo, serão menos prejudicadas com a luz artificial.

 
Os postes de 25 m, com quatro pétalas de lâmpadas no alto, que clareiam os jardins, serão mantidos, mas suas lâmpadas serão trocadas pelas de vapor metálico.

 
As lâmpadas de luz branca consomem 30% menos energia, têm vida útil mais longa e iluminam melhor, destacando mais as cores e o contorno dos objetos. Por outro lado, custam 50% a mais que as lâmpadas convencionais.

 
Além do Ibirapuera, a nova iluminação foi implantada também na Paulista, no túnel Ayrton Senna e em avenidas próximas ao Theatro Municipal.

28 abril 2011

Alabama é o estado mais atingido por tornados nos Estados Unidos

Jornal Nacional

O tornado arrastou tudo o que tinha pela frente. A destruição foi grande. Só no Alabama foram 195 mortes. Até agora, já foram confirmadas quase 300 mortes e o número de feridos passa de mil. É o maior número de mortos registrado desde abril de 1974.

Vídeos flagram a passagem dos tornados nos EUA

UOL Notícias

A atual temporada de tornados nos Estados Unidos já provocou centenas de mortes no país. Esta é a pior catástrofe natural em território norte-americano desde o furacão Katrina, que em 2005 deixou 1.800 mortos e causou prejuízos da ordem de 2 bilhões de dólares.

Especialistas internacionais discutem energia nuclear

Marina Franco - Planeta Sustentável

Muito se fala sobre um renascimento nuclear, diante da crescente demanda mundial por energia. Para discutir os aspectos tecnológicos, econômicos, regulatórios, ambientais e sociais da construção de reatores nucleares, bem como o atual cenário de produção de energia nuclear no Brasil e no mundo, será realizada a Conferência Internacional Energia Nuclear entre os dias 23 e 26 de maio. O evento faz parte da programação da 41ª Semana de Engenharia da FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado.


Para os dias 23 e 24 de maio está programada uma visita técnica à Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis/RJ. Nos dias seguintes, as palestras serão realizadas no Centro de Convenções da FAAP, em São Paulo. A programação inclui temas como: 

 
- planejamento energético nacional;
- matriz energética do Estado de São Paulo;
- o papel da Associação Mundial Nuclear;
- barreiras entre os usos pacíficos e militares da energia nuclear e
- energia nuclear e sustentabilidade.

Entre os palestrantes estão nomes reconhecidos como José Goldemberg, físico e membro da Academia Brasileira de Ciência; Altino Ventura Filho, Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia; Isis Stafford, da Associação Mundial Nuclear (Inglaterra) e Frank Von Hippel, Co-Presidente do Painel Internacional em materiais físseis (USA).

A Conferência é direcionada a empresários, técnicos, pesquisadores, especialistas e profissionais da área de energia.

Conferência Internacional Energia Nuclear
Data: 23 a 26/05
Local: FAAP - Rua Alagoas, 903. São Paulo/SP
Inscrições (gratuitas até 10/05) e programação no site da FAAP

Estragos causados pela chuva no Rio preocupam COI

O Vale

A diretoria do Comitê Olímpico Internacional (COI) demonstrou nesta quinta-feira preocupação com os estragos provocados pela chuva que atingiu na segunda a Tijuca, bairro da zona norte que abriga o Maracanã - palco da abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016.


A informação foi passada pelo secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes. A equipe internacional encerrou nesta quinta mais uma visita ao Rio para verificar o andamento das obras para a Olimpíada.

"O governador Sérgio Cabral tranquilizou a todos, dizendo que os recursos para a obra (no entorno do Maracanã) já foram solicitados e que o problema será solucionado", disse Júlio Lopes, enquanto o COI vistoriava as escavações da Linha 4 do metrô, na Barra da Tijuca. De acordo com o presidente do Comitê Internacional, Jacques Rogge, que não veio ao Rio, o metrô será vital para o deslocamento do público que assistirá às apresentações esportivas na zona oeste. A previsão é que a linha 4 - que vai ligar a zona sul à Barra - esteja pronta em dezembro de 2015, a seis meses dos Jogos.

Chuva em Vitória superou volume esperado para abril

O Vale

A chuva que atingiu Vitória hoje superou o volume esperado para todo o mês de abril. A média costuma ser 102,8 milímetros e só hoje foram registrados 162,8 milímetros de precipitação, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Em virtude das chuvas em todo o Estado, o Corpo de Bombeiros registrou um aumento no número de ocorrências. Cerca de 25% dos chamados foram para realização de cortes de árvores em risco ou que sofreram queda. Os municípios mais atingidos, além de Vitória, foram Vila Velha e Cariacica.


Até a manhã de hoje havia dez pessoas desalojadas em Vitória e outras quatro em Vila Velha. Em Cariacica, o terminal de ônibus de Itacibá está alagado e duas casas desabaram parcialmente. Nesses municípios foram registrados vários pontos de alagamento. Houve também solicitações para retirada de pessoas isoladas pela água.

Casal de tigres é batizado de William e Kate em zoológico do RJ

Marielly Campos
Da Redação - Band

Um casal de tigres de bengala foi apresentado ao público nesta quinta-feira no zoológico do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, zona norte da cidade. Os animais foram batizados de William e Kate em homenagem ao príncipe William e sua noiva, Kate Middleton.


Os animais estavam em Belo Horizonte, Minas Gerais. O casal William e Kate se casa nessa sexta-feira, em Londres.

Jiboias "invadem" áreas urbanas no interior de Goiás e assustam moradores

Lourdes Souza
Especial para o UOL Notícias
Em Goiânia

Duas jiboias assustaram a população de interior do Estado de Goiás nesta quinta-feira (28). Em Goianésia (a 198 quilômetros da capital Goiânia), uma cobra de quase dois metros chamou a atenção dos moradores do bairro setor Sul enquanto circulava pelas calçada.


Ao perceberem que o animal devorava uma outra cobra de menor porte, os proprietários da residência, onde a jiboia estava na calçada, acionaram os Bombeiros para solicitar a retirada dos animais.

Após ser recolhida, a jibóia foi levada para o quartel do Corpo dos Bombeiros no município. Segundo o cabo Solismar Vicente Silva, a corporação aguarda a liberação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para realizar a soltura do animal em um local adequado. A previsão é de que a liberação aconteça até amanhã.

Na madrugada desta quinta, um morador de Santa Helena (219 quilômetros da capital), também se deparou com uma jiboia em sua garagem. A cobra, de aproximadamente 1,70 metro, estava enrolada na roda traseira de um veículo. Os bombeiros precisaram levantar o carro para realizar a captura do animal, que foi solto em uma mata ciliar nas proximidades da cidade.

Mais de 300 tornados atingiram EUA em uma semana; mortos passam de 220

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

O Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos anunciou que mais de 300 tornados já foram registrados no país desde a última sexta-feira (22), dos quais mais de 130 só nesta quarta (27). Ao todo, mais de 220 pessoas morreram em consequência dos estragos climáticos.


O Estado mais atingido pelos fenômenos, Alabama, onde morreram 131 pessoas, chegou a declarar estado de "enorme desastre" nesta quinta-feira e pediu ajuda de Washington. O presidente Barack Obama prometeu enviar ajuda e equipes de busca e resgate.

"Nossos corações estão com todos aqueles que foram afetados por esta devastação e estamos de prontidão para continuar a ajudar o povo do Alabama", disse Obama em uma mensagem no Twitter nesta quinta.

As autoridades contabilizam até este momento 227 mortos, mas sobreviventes e socorristas acreditam que este balanço ainda deve aumentar.

Destruição em vários estados


Os estados do Arkansas, Kentucky, Mississippi, Missouri, Tennessee e Oklahoma já haviam declarado estado de emergência, e seus governadores pediram a ajuda da Guarda Nacional para as operações de resgate e limpeza.

O Alabama foi varrido por duas linhas de tempestades e um tornado que transformou em ruínas a cidade de Tuscaloosa, onde fica a Universidade do Alabama. "Este foi um evento muito sério e fatal, que atingiu nosso estado e ainda não terminou", alertou o governador do Alabama, Robert Brantley


O prefeito de Tuscaloosa, Walter Maddox, disse à rede CNN que o tornado havia destruído "quarteirões e mais quarteirões" da cidade. "Nossa infraestrutura foi absolutamente devastada", acrescentou.


"Quando vejo este rastro de destruição, de cerca de cinco a sete milhas [8 a 11 km] de comprimento por meia ou uma milha de largura, não sei como alguém conseguiu sobreviver", afirmou. "Há partes da cidade que não reconheço (...). É um momento trágico para nossa cidade".

Um tornado também causou muitos prejuízos na cidade de Birmingham, mas as autoridades ainda não sabem dimensionar o estrago.


Assustados, os moradores de Birmingham tentavam calcular os danos na manhã desta quinta-feira. Enquanto alguns agradeciam por ainda estarem vivos, outros choravam a perda de amigos e familiares.

"Havia vigas de madeira caindo do céu", descreve o gerente de loja Jack Welch. "Pelo menos 30 casas foram destruídas" perto de seu estabelecimento.

Algumas das casas varridas pelos fortes ventos tiveram os destroços localizados a até 80 quilômetros de distância. Dezenas de cidades estão sem energia elétrica.

A onda de tornados está sendo considerada o pior desastre natural a atingir os Estados Unidos desde o furacão Katrina, em 2005, enquanto o site "Accuweather.com" afirma que é a pior temporada de tornados desde abril de 1974, quando 310 pessoas morreram.

O Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos lançou um raro alerta de "alto risco" para novos tornados, tempestades de granizo e enchentes para partes do Alabama, Geórgia e Mississippi.

No Mississippi, as fortes chuvas e ventos já mataram 32 pessoas e causaram estragos em 50 de seus 82 condados.

Além disso, as autoridades contabilizam 30 mortos no Tennessee, 13 na Geórgia, 11 mortos no Arkansas, 7 na Virgínia e 3 no Missouri.

*Com informações da AFP
 

26 abril 2011

Rio vive mais uma noite e madrugada de caos por causa da chuva

Jornal do Brasil

RIO - O Rio viveu mais uma noite e madrugada de caos por causa da chuva. Um homem de cerca de 30 anos foi encontrado morto depois de ter sido arrastado pela correnteza, na Rua Sotero Reis, na Praça da Bandeira. Uma mulher ficou ferida ao ser atingida por uma descarga elétrica quando passava pela Rua Conde de Bonfim, na Tijuca.
 
O temporal que castigou a cidade começou por volta das 20h e atingiu principalmente a Tijuca, na Zona Norte, onde choveu o equivalente a 30 mm em 15 minutos. O Rio Maracanã transbordou e o trânsito parou nas principais vias do bairro. Houve deslizamentos nas comunidades JK, Borel, Andaraí e Chacrinha, mas sem vítimas. As sirenes da Prefeitura foram acionadas, avisando a população de que deveria sair das áreas de risco.

 
Ruas também ficaram alagadas em Vila Isabel, Grajaú e Andaraí. Choveu muito também no Centro e na Zona Oeste, principalmente em Santa Cruz e Barra da Tijuca. Foram registrados alagamentos também no Catumbi, Leopoldina, Cidade Nova e Praça Mauá. A Rodovia Rio-Santos foi fechada na altura do km 441 por causa da queda de barreira.

 
A Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá está completamente interditada. A via foi fechada após o deslizamento de uma pedra. Ainda não há previsão de liberação das pistas. A Prefeitura informou ainda que o Túnel Rebouças chegou a ser interditado na pista sentido Centro, na segunda galeria. A chuva também provcou a queda de luz em alguns trechos de ruas. Em Jacarepaguá, na Zona Oeste, há trechos às escuras nas regiões da Taquara e em Curicica.

UHE Santo Antônio: exemplo de eficiência

Humberto Viana Guimarães - Jornal do Brasil
 
O leilão para a concessão da Usina Hidrelétrica (UHE) Santo Antônio, localizada no rio Madeira, Rondônia, foi realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, em 10/12/2007. O vencedor foi o Consórcio Madeira Energia, que posteriormente transferiu a concessão para a sua subsidiária integral Santo Antônio Energia S/A – SAESA (Concessionária), conforme Processo Aneel nº 48500.001273/2008-22, de 23/09/2008. O consórcio ofereceu R$ 78,87 por megawatt hora pela tarifa média a ser gerada, o que representou um deságio de 35% do teto fixado pelo governo, que era R$ 122. De acordo às regras do leilão, 70% da energia gerada terão que ser vendidos no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e 30% no mercado livre.

 
Para a execução da UHE, a Concessionária contratou o Consórcio Construtor Santo Antônio (CCSA) assim constituído: a) Odebrecht Engenharia e Construção (líder); b) Consórcio Santo Antônio Civil (CSAC), composto pelas Construtoras Norberto Odebrecht e Andrade Gutierrez; e c) Grupo Industrial do Complexo Rio Madeira (Gicom). Os projetos ficaram sob a responsabilidade das empresas Intertechne e PCE – Projetos e Consultoria de Engenharia.

 
A UHE Santo Antônio é um belo exemplo de eficiência energética. Terá potência instalada de 3.150 MW e energia firme de 2.218 MW, ou seja, eficiência de 70,41%, o que a coloca entre as melhores a nível mundial em energia assegurada. Essa eficiência, além de outros fatores, deve-se à utilização de turbinas tipo bulbo com potência unitária de 71,6 MW (44 no total), que serão as maiores do mundo e com somente 13,5 metros de queda (a segunda maior está em Tadami, Japão, 65,8 MW e 20,7 metros de queda). O diâmetro das turbinas de Santo Antônio com 8,15 metros só perdem para Murray Lock, USA, com 8,41 metros.

 
Soma-se a sua eficiência energética o fato de que Santo Antônio sendo do tipo “fio d’água” (que não necessita de grande acumulação e sim volume e velocidade, típicos do rio Madeira), tem uma excelente relação entre potência e área alagada, posicionando-a como uma das melhores do Brasil.

 
Vejamos: a área do reservatório da UHE, incluindo a área de inundação natural do rio terá um total de 271 km² (líquida = 110 km²). Considerando a potência total instalada de 3.150 MW, temos uma relação de 11,62 MW/km² e somente 0,086 km² de inundação por MW (somente a título de comparação, a nossa belíssima Itaipu tem uma relação de 9,59 MW/km² e 0,1043 km²/MW).

 
Muitos perguntam o porquê do uso de turbinas tipo bulbo. A resposta é simples: além de permitir que a UHE seja a “fio d’água”, ela trabalha como se fosse uma descarga (vertedouro) de fundo que, somada ao vertedouro de crista dá maior segurança à estrutura na vazão das grandes cheias. Ademais, devido à velocidade da vazão pelas turbinas há, também, a vantagem do escoamento dos sedimentos (que normalmente se acumulam à montante das turbinas convencionais).

 
O cronograma original previa o início da operação comercial em dezembro de 2012. No entanto, como resultado do enorme empenho da concessionária e do consórcio construtor – a obra foi iniciada um mês após a concessão da licença de instalação pelo Ibama (18/08/08) –, a data foi antecipada em um ano, sendo que a 1ª unidade entrará em operação comercial em 15/12/2011, a 2ª e 3ª unidades em 01/01/2012, e assim sucessivamente, sendo que a 44ª unidade entrará em operação em 01/11/2015, de acordo ao Segundo Termo Aditivo, Processo Aneel nº 48500.001273/2008–22, de 23/08/2010. O diretorgeral da Aneel, Nelson Hübner, ressaltou que “o fato de termos adiantado em um ano o início da operação comercial da usina é muito positivo. É a entrada de uma energia limpa e mais barata na economia do país.”

 
Tendo em vista que o “Linhão” que ligará Porto Velho (RO) a Araraquara (SP) não estará concluído quando do início da geração, a Aneel autorizou a SAESA construir uma subestação na região, de forma alternativa e provisória, para escoar a energia gerada, assunto que será tratado num futuro texto.

Angra 3 não pode ser nosso fantasma de Fukushima

Jornal do Brasil

HOJE, o acidente nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, completa 25 anos, e ainda estão longe de serem estancadas as consequências da tragédia de Fukushima, no Japão, onde um terremoto seguido de tsunami provocou um desastre ambiental de classificação 7, a mesma dada à antiga usina soviética, cujo vazamento matou pelo menos 50 mil pessoas desde 1986. Num momento em que todos os países – inclusive a Alemanha, nosso introdutor na tecnologia nuclear – estão repensando o uso da energia nuclear, é de se estranhar que no Brasil não haja qualquer indício de revisão dessa opção energética.
 
Um país com tantas possibilidades de aproveitamento das energias eólica e solar deveria, pelo menos, pensar nisso. Ontem, ativistas do Greenpeace fizeram uma manifestação em frente à sede do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) questionando a direção da instituição por investir alto na usina nuclear Angra 3, no Rio. 


Segundo os integrantes do grupo ecológico, a tecnologia usada ali é antiquada, pois data dos anos 70, e insegura. Todos conhecem o gosto do Greenpeace por ações que reforcem seu marketing, e foram elas, aliás, que permitiram a popularização do grupo. No entanto, seus métodos heterodoxos de protesto, vez por outra, passam dos limites. Não foi o caso da ação de ontem, quando a sede do BNDES no Rio foi coberta por uma fumaça amarela simbolizando um vazamento radioativo. A experiência nos mostra, pelo menos no caso nuclear, que onde há fumaça, há fogo.