17 setembro 2009

Sobe para 24 número de cidades em situação de emergência no RS



Subiu para 24 o número de cidades que decretaram situação de emergência no Estado do Rio Grande do Sul, nesta quinta-feira, em decorrência das chuvas que atingem a região, segundo informações da Defesa Civil.

Apesar do aumento no número de municípios em emergência, o total de pessoas que permanece fora de suas casas teve leve queda em relação ao balanço divulgado ontem (16), totalizando 5.175 desabrigados e desalojados. Desses, 2.776 foram encaminhadas para abrigos públicos e outras 2.399 estão em casas de parente e amigos.

Também como consequência das chuvas, quatro estradas permanecem interditadas no Estado devido a alagamentos. Segundo balanço da Defesa Civil, o tráfego está interrompido na RS-129, entre Estrela e Roca Salles; na RS-347, entre Vila Flores e Antônio Prado; RS-431, entre Bento Gonçalves e São Valentim do Sul; e na RS-441, entre Guaporé e Vista Alegre do Prata.

Ontem (16), o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, esteve no Rio Grande do Sul e confirmou a liberação de R$ 5 milhões para a reconstrução das que foram destruídas pelos eventos adversos na última semana, segundo informações da Defesa Civil.

Santa Catarina

No Estado de Santa Catarina as chuvas fizeram 74 cidades decretarem situação de emergência, de acordo com a Defesa Civil estadual. Também há registro de 10.103 pessoas fora de suas casas em decorrência de alagamentos e deslizamentos. O numero é menor ao registrado no balanço de ontem, que apontava 11.654 pessoas.

Do total, 1.251 são pessoas que precisaram ser encaminhadas para abrigos. As outras 8.851 pessoas afetadas estão em casas de amigos e parentes. Até essa quinta-feira, havia registro de cinco pessoas mortas no Estado de Santa Catarina devido às chuvas, e outras 170 feridas.

Previsão

As pancadas de chuvas devem continuar a atingir a região Sul do país, pelo menos até o próximo domingo (20), podendo haver ocorrência de granizo e trovoadas em áreas isoladas dos dois Estados.

PI e CE têm mais de 130 cidades afetadas pela seca; falta de recursos trava carros-pipa

Yala Sena
Especial para UOL Notícias
No Piauí

Os Estados do Piauí e Ceará solicitaram em regime de urgência a liberação de carros-pipas para 134 municípios que sofrem com a falta de água. Hoje, a Defesa Civil do Ceará informou que 58 prefeitos já pediram o envio de abastecimento de água, principalmente para o polígono da seca e região do baixo Jaguaribe. No Piauí, o governo pediu ajuda para 76 municípios que estão há quatro meses sem chuvas.

O gerente de Desastre da Defesa Civil do Ceará, Joel Nobre, informou que a maioria dos municípios com flagelados da seca ainda estão incluídos no decreto de emergência das enchentes. Segundo ele, essa inclusão está causando o entrave para a liberação de recursos.

"A nossa orientação é que os prefeitos solicitem a visita dos técnicos da Defesa Civil e, se for constatada a necessidade, é incluído na operação carro-pipa e o município sairá do decreto das enchentes. Por enquanto, 58 municípios já pediram ajuda dos carros-pipas", disse Nobre.
Somente na região de Crateú (CE), 13 cidades irão receber carros-pipas. Entre eles, Assaré, Jucas, Antonina do Nobre, Pedra Branca, Quiterianópolis, Campos Sales, Salitre, Nova Olinda e Santana do Cariri.

Falta de verba
O Exército Brasileiro ainda não iniciou a operação carro-pipa nos 76 municípios que sofrem com a falta de água no Piauí, devido à falta de recursos. Os Batalhões de Construções e Infantaria de Teresina e de Crateús, no Ceará, que vão atuar nos municípios piauienses, já receberam a lista das cidades no polígono da seca, mas aguardam a liberação do recurso para a contratação dos veículos.

O capitão Francisco de Paula Camelo de Sousa Júnior, do 40º Batalhão de Infantaria de Crateús, informou que os oficiais cearenses irão atuar em 25 cidades no Piauí.

"Estamos dependendo da chegada do recurso para iniciar o atendimento às famílias", informou o capitão que não soube informar o valor do recurso necessário. Segundo ele, o aluguel do carro-pipa na região varia de R$ 2.500,00 até R$ 11 mil, de acordo com o percurso.

Para antecipar o trabalho, o capitão disse que os homens serão deslocados para os municípios e lá irão fazer o cadastramento das famílias e verificar as rotas dos carros-pipa.

Serão atendidas as regiões de Caridade do Piauí, Francisco Santos, Massapê do Piauí, Monsenhor Hipólito, Padre Marcos, Pio IX, São Julião e Belém do Piauí.

Já o coordenador da Operação Pipas no Piauí, Dimas Ferreira Oliveira, disse que recebeu autorização para atuar em 34 cidades do Estado, mas confirmou que falta a liberação dos recursos. "A estimativa é que vamos precisar de 130 carros-pipas, mas esse número pode ser alterado", disse Oliveira.

15 setembro 2009

Tornados arrastam pessoas e derrubam casas em Santa Catarina



O interior de Santa Catarina testemunhou esta semana uma das mais devastadoras forças da natureza: os tornados. O vento fortíssimo arrastou pessoas e casas, além de derrubar árvores.

Cedae começa a usar robô na despoluição da Lagoa Rodrigo de Freitas



Robô vai filmar as galerias de águas pluviais em busca de ligações clandestinas ou qualquer irregularidade que ponha em risco a qualidade da água. A vistoria vai ser diária.