04 fevereiro 2009

A devastação da Amazônia



Não por acaso, o território escolhido para a nona edição do Fórum Social Mundial (FSM), encerrado ontem, foi o Pará, e um dos temas que dominou o encontro, a Amazônia. O Estado encabeça, segundo levantamento do Ibama, a lista com o maior número de municípios responsáveis pelo desmatamento da floresta amazônica. É o centro de uma preocupação que avança, mais ainda com um relatório que o Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma) divulga agora: no prazo de cinco anos, entre 2000 e 2005, 17% da floresta foi varrida do mapa.

Não é pouca coisa. Os cortes e as queimadas consumiram 857 mil quilômetros quadrados de árvores, o equivalente ao território da Venezuela. Embora a chamada Pan-Amazônia (Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, além da Guiana Francesa) seja composta por mais sete países, é o Brasil o principal responsável pela destruição, diz o relatório antecipado pelo jornal francês Le Monde na última quinta-feira. O levantamento da ONU contradiz o governo brasileiro, que ainda celebra a redução no ritmo do desmatamento verificada ao longo de 2008.

Em debate no FSM, o bispo da diocese do Xingu, Erwin Krautler – há 44 anos trabalhando na região e sob permanente proteção policial por suas ações sociais –, vaticinou que em 30 anos a maior parte da floresta deverá estar devastada. Os dados exigem mobilização, sem desconsiderar a soberania nacional, um temor sempre presente quando o tema é Amazônia. O que a ONU sugere é um maior envolvimento internacional para ajudar financeiramente os países que abrigam a floresta.

Compartilhar conhecimentos, construir projetos conjuntos e aceitar ajuda externa são questões que o presidente Lula reconhece como necessárias, embora no ano passado, com certa irritação, tenha dito que havia “muita gente dando palpite” sobre a Amazônia. A alternativa passa pelo desenvolvimento sustentado, combinando ocupação e preservação. Uma solução capaz de evitar o mesmo destino ao qual foi condenada a Mata Atlântica, o bioma mais rico em biodiversidade do planeta, que engloba 17 Estados brasileiros, e hoje preserva apenas 7% de sua cobertura original.

03 fevereiro 2009

Madeira ilegal é vendida no Pará



Um golpe milionário contra um patrimônio do Brasil foi descoberto no estado do Pará. Uma fraude que teve a conivência comprovada de quem deveria combater esse tipo de crime.

Seca deixa Argentina em estado de emergência agropecuária



A produção de trigo caiu pela metade, se comparada à safra de 2007/2008. Na de milho, as perdas foram de 30%. Os produtores pedem incentivos. O setor é responsável por 58% das exportações do país.

Temporais prejudicam fornecimento de água em Angra dos Reis



Os moradores reclamam que o problema ocorre com frequência. Toda vez que acontece um temporal, a água chega escura e com resíduos nas residências. Muitas donas de casa já pararam de lavar roupas.

Desastre ambiental traz consequências graves para a Lagoa de Araruama



O nível de oxigênio na Lagoa de Araruama ainda está muito abaixo do normal. Amostras de água foram recolhidas nessa quinta-feira para análise. O laudo deve ficar pronto até terça-feira que vem.