27 setembro 2008

Concentração de CO2 na atmosfera é a maior em 20 milhões de anos, diz estudo


em Washington

A concentração atual de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera aumentou de forma dramática em 2007 e provavelmente é a maior nos últimos 20 milhões de anos, segundo um relatório publicado pela organização Global Carbon Project.

O relatório Carbon Budget and Trends 2007 (Planos e Metas de Carbono 2007, em tradução livre) apontou que no ano passado a concentração de CO2 foi de 2,2 ppm (partes por milhão), ante os 1,8 ppm em 2006 e acima dos 2 ppm de média do período 2000-2007.

"A atual concentração é a maior durante os últimos 650 mil anos e provavelmente durante os últimos 20 milhões de anos" afirmaram os autores.

China e Índia foram os países onde mais aumentaram as emissões de CO2, um dos gases responsáveis pelo aquecimento global.

O relatório constatou que, em 2006, a China ultrapassou os Estados Unidos como o maior emissor de CO2 do planeta e que a Índia, em breve, se transformará no terceiro maior emissor global, ao ultrapassar a Rússia.

Mais da metade das emissões atuais de CO2 provêm dos países menos desenvolvidos, mas o relatório destacou que, de uma perspectiva histórica, os países em desenvolvimento que representam 80% da população mundial só somam 20% das emissões totais realizadas desde 1751.

De fato, os países mais pobres do mundo, com uma população de 800 milhões de pessoas, "contribuíram com menos de 1% destas emissões acumulativas".

O relatório destacou que oceanos e terra acumularam 54% das emissões humanas de CO2 realizadas entre 2000 e 2007, mas também constatou que "a eficiência destes sumidouros para recolher CO2 diminuiu 5% nos últimos 50 anos", tendência que continuará no futuro.

Outro dado destacado pelo estudo é que o desmatamento é responsável pelas emissões líquidas de 1,5 bilhão de toneladas de dióxido de carbono ao ano.

O desmatamento na América do Sul e na América Central foi responsável por 41% deste número, enquanto outros 43% procederam da Ásia e 17% da África.