15 agosto 2008

Cemitério da Idade da Pedra revela "Saara verde" em Níger



Uma mulher e duas crianças jaziam numa cama de flores 5.000 anos atrás no que hoje é o estéril Saara.

Os finos braços dos jovens ainda estavam estendidos para a mulher num abraço perpétuo quando pesquisadores descobriram seus esqueletos num notável cemitério que está fornecendo pistas sobre duas civilizações que viveram ali, quando o deserto era úmido e verde.

Paul Sereno, da Universidade de Chicago, e seus colegas estavam buscando os restos de dinossauros em Níger quando encontraram esse cemitério da idade da pedra. Cerca de 200 sepulturas de pessoas foram encontradas no local em 2005 e 2006, assim como restos de animais, grandes peixes e crocodilos.

"Para todo lugar que olhávamos havia ossos pertencentes a animais que não vivem no deserto", disse Sereno. "Eu percebi que estávamos no Saara verde."

O cemitério foi descoberto pelos ventos do deserto, numa região chamada Gobero.

Os restos humanos são de duas populações distintas que viveram lá durante períodos úmidos, com um período seco no meio.

Os pesquisadores usaram datação por radiocarbono para determinar quando esses antigos povos viveram. Um primeiro grupo, conhecido como kiffian, caçava animais selvagens. Eles colonizaram a região quando o Saara estava na época mais úmida, entre 10.000 e 8.000 anos atrás. Eles eram altos, atingindo por vezes mais de 1,83 metro de altura.

O segundo grupo vivia na região entre 7.000 e 4.500 anos atrás. Eram pequenos, caçavam e criavam gado.